Últimas notícias

Com vocês, um pouco de Curvelo!

(Foto: CDL - domínio público)


População, relevo, cultura, lazer, turismo, centro geográfico de Minas Gerais... Aquelas velhas e boas aulas de geografia e história que todo aluno do ensino fundamental já assistiu ou teve que fazer algum trabalho sobre a cidade. Para os cidadãos que tiveram ou não tiveram a oportunidade, ou realmente não conhecem, eis aqui alguns dados (bons e ruins é claro).

No último programa político do atual prefeito, mencionou-se sobre o “cartão de visitas” de Curvelo, que a cidade deve apresentar boa aparência e estrutura para receber empresas e constituir o tão sonhado polo industrial que gere renda para o município e região. Ele ganhou e realmente foi criado um informativo sobre a cidade. Este, de domínio público, ainda é pouco conhecido pela população e que apresentam muitos dados, características e informações interessantes.

Não dá para negar que foi um trabalho bem elaborado e que é chamariz de novos investimentos, mas como toda a cidade, Curvelo também têm os seus percalços e que obviamente não seriam colocados em ofício (o que não fica na faixada de casa a gente coloca no quartinho lá no fundo pra ninguém ver).

Muitas são as qualidades e muitos são os defeitos, priorizaremos aqui o saneamento básico. Muitos bairros ainda sofrem com a falta de saneamento básico adequado ou sem manutenção; muitos habitantes ainda sofrem para ter água encanada na sua casa; por outro lado muitas melhoras foram observadas com a operação da Estação de Tratamento de Efluente (esgoto) – ETE, sim, ela existe e está a todo vapor! Baita contraste, não?!

O que muito se ouve da população é que a cidade só se desenvolve no hiper centro, centro e bairros marginais a ele (mesmo assim com problemas de captação da água da chuva), e que os bairros mais afastados são deixados de lado, esquecidos, e somente relembrados em campanhas políticas (preparem-se!) com velhas promessas de saúde, educação, segurança, blablablá...

Infelizmente muitas doenças e até mortes são causadas pela falta do mínimo para o cidadão, a falta de investimento agora geram gastos no futuro. Uma diarreia, por exemplo, pode virar um surto na cidade, aí desencadeia a bola de neve: pessoas doentes, postos de saúde cheios, hospitais cheios, falta de estrutura e profissionais que atendam a todos, menos gente trabalhando, menos produção, menos movimentação monetária, cidade atingida e doente. Parece exagero, mas pode acontecer, isso sem falar em outras endemias que possam aparecer e prejudicar o desenvolvimento do município.

Seria hipocrisia dizer que não existem investimentos na área de saneamento básico, saúde preventiva e corretiva, dentre outras, mas ainda é pouco, não é o suficiente. Deve-se sim investir no layout da cidade, mas depois que todos puderem usufruir dele com conforto, por que não? E se por agora não for possível realizar uma grande obra que atendam a todos, existem métodos paliativos de baixo custo que podem ser temporários e/ou permanentes (corredor de bananeiras, fossas ecológicas, etc...) e que podem pelo menos atenuar a gravidade da situação em que muitos cidadãos se encontram.

 Investir no bem-estar dos habitantes nunca é de mais, só que deve ser bem planejado e aplicado para todos, é mais barato, geram menos gastos e principalmente, menos dor de cabeça. Alô cidadão! Faça também sua parte, ficar somente reclamando em casa ou por meio de redes sociais não é o suficiente, reúnam-se, solicitem uma assembleia, corram atrás daquele vereador que ganhou o seu voto, exija os seus direitos e faça os seus deveres, a cidade agradece.

Escrito por Matheus Terra Hipólito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de quem os publica e estão sujeitos a moderação caso não sejam pertinentes ao assunto. Para entrar em contato direto com a redação acesse: www.clickcurvelo.com/contato

Click Curvelo Designed by Templateism.com Copyright © 2013 - 2016

Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.