Últimas notícias

Feminicídio: o crime de ser homem



A Câmara dos Deputados aprovou nessa terça-feira (3) o projeto de lei que aumenta a pena para quem matar mulheres por razões de gênero. O texto também prevê a pena maior para mortes decorrentes de violência domestica e para os casos em que a mulher é assassinada estando grávida. A matéria já havia sido aprovada pelo Senado e agora vai à sanção presidencial.

Eles incluirão no Código Penal Brasileiro o "Feminicídio", o que seria basicamente um agravante para o crime de se matar uma mulher. A lei foi claramente baseada na PLC122 onde previa o agravamento de penas para crimes de homofobia e racismo.

O problema da leis baseadas em homofobia, racismo, preconceito ou qualquer outro tipo de manifestação de repudio a algum grupo específico da sociedade, é que você acaba beneficiando um só grupo enquanto todos os outros poderiam se estar beneficiando da mesma Lei ou de outras leis já existentes.

Não é preciso ser um gênio para perceber que o "Feminicídio" é uma Lei que deveria estar abrangendo homens, mulheres e crianças. Até por que 91,5% dos assassinatos cometidos no Brasil em 2011 foram de HOMENS. Para ser mais específico 48.493 homens foram assassinados em 2011, será que os culpados não merecem ficar mais do que 6 a 20 anos na cadeia do que prevê hoje o código penal? 

O a Lei do "Feminicídio" prevê que a pena por se matar uma mulher vá de 12 a 30 anos de prisão. Apesar dos números mostrarem que é muito mais seguro ser mulher do que homem no Brasil. Apenas  8,5% dos assassinatos são cometidos contra mulheres. Para ser mais específico o numero de mortos em 2011 passou a marca de 50 mil pessoas assassinadas e, as mulheres, só representaram 4.477 mulheres.

Não estou dizendo que a Lei é ruim ou boa, só estou dizendo que ela deveria defender toda a sociedade. Defendo as mulheres, mas, nós homens, também merecemos um pouquinho de atenção do estado de vez em quando. Só acho que, perante ao estado, todos nós devemos ser iguais e defendidos igualmente.

Hoje à uma guerra ideológica enraizada na nossa política que coloca de um lado: os Coitadinhos que merecem ser defendidos a todo custo. E o outro lado uma "classe" que não tem o minimo de representatividade e que sofre tanto quanto, os Coitadinhos. Temos que lutar contra esse Coitadismo, mas infelizmente, só tem 1 ou 2 duzias - chutando bem alto -, de deputados e senadores que querem realmente ajudar o Brasil ir pra frente com um povo unido com a bandeira dos "direitos iguais" estampada no peito.

Fonte: G1

3 comentários:

  1. Quanta besteira... 91,5% dos assassinatos cometidos no Brasil em 2011 foram de HOMENS... cometidos por HOMENS. De maneira geral, homens se matam por temas urbanos, como tráfico de drogas e desordem territorial, enquanto mulheres são mortas por questões de gênero. Só por serem mulheres. Os assassinos são atuais ou antigos maridos, namorados ou companheiros, inconformados em perder o domínio sobre uma relação que acreditam ter o direito de controlar. A grande maioria das ocorrências tem motivo fútil. Leia mais, se informe mais, e fale menos bobagens, por favor.

    http://professoraalice.jusbrasil.com.br/artigos/171813462/feminicidio-o-que-nao-tem-nome-nao-existe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senhora, seu argumento é inválido pelo simples fato de que eu não to discutindo machismo x feminismo ou qualquer coisa do tipo. Sua briga é ideológica a minha não.

      Na situação social que o Brasil se encontra hoje, qualquer coisa que agrave pena sobre assassinatos é bem vinda, independente de que grupo social, homens ou mulheres eles vão defender. Aqui no Brasil em 2014 passaram a marca de 60 mil assassinatos por ano e, mulher não morre só por que é mulher, aqui se morre por qualquer coisa, independente de você ser homem ou mulher.

      Estamos no topo de países mais violentos do mundo, e sinceramente espero que a Lei do Feminicído diminua, pelo menos um pouco, esse numero monstruoso de assassinatos que acontecem todos os anos no Brasil.

      Deixei claro que no post mas, pelo visto me enganei. Não estou discutindo se os assassinatos são cometidos por homens ou mulheres, ou quais quer que seja as causas. Minha discussão é: por que a lei não pode valer para os 2 gêneros?

      Excluir
    2. Inclusive existe o PL5242/2013, autoria de Jair Bolsonaro, que torna hediondo todo e qualquer crime (especialmente o assassinato) cometido com natureza passional, independente de quem for o perpetrador ou a vítima.

      Excluir

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de quem os publica e estão sujeitos a moderação caso não sejam pertinentes ao assunto. Para entrar em contato direto com a redação acesse: www.clickcurvelo.com/contato

Click Curvelo Designed by Templateism.com Copyright © 2013 - 2016

Imagens de tema por Jason Morrow. Tecnologia do Blogger.